quarta-feira, 1 de abril de 2015

Sabonetes OLIVAE


Recentemente realizei um passatempo em parceria com a OLIVAE, uma marca portuguesa de sabonetes, e hoje venho dar-vos a conhecer melhor a marca e a minha opinião relativamente a estes sabonetes.

Os sabonetes OLIVAE são concebidos de forma artesanal, em que o processo de saponificação dos sabonetes OLIVAE consiste unicamente na junção de ácidos gordos (azeite) a elementos alcalinos (hidróxido de sódio).

A sua fórmula tem como base o azeite virgem, o leite de cabra serpentina (raça autóctone exclusiva de Portugal) e a cera de abelha. Estes ingredientes são de máxima qualidade, seleccionados de forma a contribuir para a promoção das economias locais e a sustentabilidade dos recursos utilizados, sendo  provenientes de explorações agrícolas localizadas no Sul de Portugal, geridas de forma tradicional e de acordo com práticas amigas do ambiente.


Os sabonetes da marca contam com quatro aromas diferentes, o neutro (sem cheiro), alecrim, rosmaninho e tomilho bela-luz. Os óleos essenciais biológicos, que conferem os aromas a estes sabonetes, 100% puros e biológicos, provêm igualmente de produtores enquadrados em padrões de qualidade exigentes e são produzidos, por destilação a vapor de água, a partir de espécies da flora portuguesa. Para aromatizar os sabonetes OLIVAE não são utilizadas quaisquer substâncias químicas.

O leite de cabra serpentina contém triglicéridos, com pH semelhante ao da pele, que ajudam a hidratar, vitamina A, que desempenha funções vitais a nível da manutenção do tecido epitelial e do bom estado do cabelo e vitaminas como a B1, B12 e C.

O azeite é um excelente condicionador da pele, contendo ácido oleíco, possui características emolientes e humectantes. Lubrifica a superfície da pele, conferindo-lhe maciez e lisura; por outro, aumenta o volume de água retida na camada superior da pele, através da captura da humidade do ar.
Rico em vitaminas A, D, K e E, o azeite é também um poderoso antioxidante que ajuda a retardar o envelhecimento da pele.

 

No primeiro contacto que tive com os sabonetes o que mais me agradou foi o de Tomilho Bela Luz! Não sei bem porquê mas a primeira sensação que tive foi que me cheirava a rebuçados da Tosse dos brancos (peitorais da Dr. Bayard), aquele cheiro a alcaçuz que os caracteriza, entretanto o cheiro já não me remete a nada, talvez por habituação.

Ao contrário do Miguel Esteves Cardoso que escreveu um artigo para o Público que podem ler aqui, de entre os quatro aromas disponíveis (tomilho bela luz, rosmaninho, alecrim e neutro), tenho preferência pelos que têm ervas! 

O cheiro do sabonete em si (do neutro que é base de todos os outros) diria que tem um cheiro como se tratasse de uma mistura de um chá fraquinho com terra, é um cheiro muito natural mas com um laivo do cheiro a azeite que me remete para gordura. 

Os que têm ervas libertam mais aroma secos do que propriamente molhados, não sinto que deixem algum aroma em particular na pele! O que me faz mesmo gostar dos sabonetes com ervas é a sensação que proporcionam quando os passo na pele! Aquelas pintinhas que vêm na imagem à medida que se vai usando o sabonete vão ficando salientes e não diria nunca que têm como que um efeito esfoliante mas, é muito prazeroso passá-los na pele porque dão uma sensação de como quem nos coça a pele! 

A maioria dos sabonetes, quando derretem ficam cheios de espuma mas se os passarmos por água ficam lisinhos e secos. Estes, à medida que derretem ficam viscosos e são suaves na pele. 

A prova de fogo.... lavar o rosto com sabonete! Sou muito pouco fã de lavar a cara com gel de limpeza, a grande maioria deixa-me a pele demasiado seca e a repuxar por todos os lados. Com o passar do tempo percebi que os sabonetes naturais eram bons aliados para esta tarefa e a nível de hidratação, de certa forma, é assim que os testo! Se no corpo só consigo praticamente tirar conclusões a longo prazo, no rosto a conclusão é quase imediata e estes passaram no teste a 100%!

Podem encontrar estes sabonetes por cerca de  4/5€ estes que vêm na imagem de 100g. Existem uns mais pequeninos de 25g mas que são realmente pequeninos, como os que geralmente se encontram em hotéis.



3 comentários:

  1. Respostas
    1. Olá Maria, eu tenho o cabelo curto no momento e tolero praticamente tudo, quando tinha o cabelo comprido não me atrevia a usar sabonetes no cabelo porque tinha as pontas muito secas. Acredito que também varie muito mediante o tipo de cabelo. O que lhe posso dizer é que os acho bastante hidratantes, completamente diferentes do "sabonete de supermercado"...

      Eliminar