segunda-feira, 19 de março de 2012

Desagrado Inês Pereira Cabeleireiros

Quem tem vindo a acompanhar o meu blog, sabe decerto que em Julho do ano passado resolvi fazer uma ondulação no meu cabelo.

Como achava que ficava giro ondulação no cabelo comprido deixei-o crescer e crescer até me atrever a fazê-lo. Com medo que me estragassem o cabelo (e desculpem-me as cabelereiras) decidi recorrer a um cabeleireiro de renome, de forma a ter a certeza de que o meu cabelo iria ser bem tratado e não iria ser mais uma a relatar actos danosos para com o meu cabelo.



 
Resolvi então ir ao cabeleireiro da Inês Pereira do El Corte Inglés do Porto, em vez de ir à minha cabeleireira normal a outra qualquer dita de "rua". Ciente de que iria pagar balúrdios pelo serviço, mas que iria sair satisfeita.

Previamente certifiquei-me que me informava sobre o preço por telefone, do qual me informaram que seria cerca de 60€ (era mais um bocado...). Dito e feito lá fui e quando me apresentaram a conta ultrapassava os 100€, entre ondulação, ampolas e cremes que ninguém me perguntou se eu queria e sendo assim deveriam estar incluídos no preço que me tinha sido dado.

A historinha já toda a gente por aqui sabe... ondulação mal feita, vou lá reclamar, refazem-na e passado uma semana resolvo ir aos ditos cabeleireiros "merdosos" tentar recuperar o meu cabelo... Já vou no segundo corte e sem conseguir retirar o cabelo estragado!! O meu cabelo parecia os novelos que se enfiam nas gaiolas dos ratos para dormirem! Nem cabelo ondulado, nem cabelo liso, nem cabelo saudável, muito menos com bom aspecto, para o qual a solução passou a ser andar com ele regularmente preso!!

Melhor, na segunda visita reconheceram o erro, disseram que me fariam outra vez sem qualquer custo e quando vou a sair e a agradecer por terem retificado o erro dizem muito alto, são 30 e tal euros se faz favor!!! Como se fosse uma ladra a fugir sorrateiramente sem pagar! Simplesmente lindo!

Na altura a minha mãe e namorado acompanharam o processo todo e a minha mãe garantiu que ia fazer uma reclãmação para a Inês Pereira, algum tempo volvido e acabou por passar e com os afazeres acabou por não fazer nada.

Não é que ontem lembrei-me de procurar a página dos cabeleireiros no facebook e relatar a situação e dizer que era lamentável tal nível de serviço. Obviamente não podemos generalizar, porque há cabeleireiros que trabalham para eles bons, mas também é de frisar que neste processo (das duas vezes) estiveram envolvidas três pessoas! Esperava no mínimo um "lamentamos o sucedido", educado e comedido. Hoje resolvi voltar à página e o meu comentário havia sido apagado! Lindo! Desta forma fica aqui o testemunho...

Alguém já teve experiências destas em cabeleireiros carérrimos?!

27 comentários:

  1. Eu já tive foi uma má experiência nesse mesmo cabeleireiro. Fui porque o meu cabelo caia-me imenso mas saí de lá, além de cabelo mais curto do lado direito, com o cabelo tão estragado que andei 1 ano a pôr ampolas para corrigir os danos. --'
    Mas a verdade é que cheguei a falar com a chefia do El Corte Inglés e a minha mãe fê-los pagar todo o tratamento, além do dinheiro do cabeleireiro. (A minha sorte foi ser a minha mãe que se fosse só eu teria ficado caladinha que nem um rato. =X)
    Sorrisos,
    Alexandra

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. podes ir la agora tenho uma amiga que esta a estagiar ela é mesmo boa que faz e podes la experimentar chama-se renata

      Eliminar
    2. tem la uma amiga minha que esta estagiar ela é mesmo boa o que faz e podes espreitar chama-se renata

      Eliminar
  2. Pois...eu também não reclamei... até agora. Por acaso sabes o nome da cabeleireira? Com jeitinho é a mesma... eu não me lembro do nome. É muito triste.. eu ainda ando a tentar recuperar o cabelo mas continuo com imenso cabelo estragado.

    ResponderEliminar
  3. É preciso mesmo dar voz a estas situaçoes. Esses cabeleireiros tem o "nome" e não fazem nada para manter a qualidade! Enfim, devias publicar todos os dias no face deles este teu post!! ate eles se cansarem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora bem eu deixei um comentário no facebook que foi apagado, de seguida dei voz à minha indignação e disse que era indecente tal atitude e já lá vai alta conversação, devido a insinuarem que não tinha ocorrido erro nenhum. Não lhes pedi nada, não exigi nada, apenas expus uma situação para terem em atenção, mas em vez de serem éticos e profissionais resolveram sublinhar vezes sem conta que os seus profissionais são de qualidade. Fica aqui a imagem onde se tem desenrolado um "bate-boca" como lhe chamei mas que sinceramente já estou farta. http://www.facebook.com/photo.php?fbid=352085541501480&set=a.218251471551555.54173.167980643245305&type=1&theater

      Eliminar
  4. Bom dia Alexandra,

    Antes de mais, queremos pedir desculpa por esta “perseguição”, mas quando uma colaboradora nossa nos chamou a atenção para o seu post, não podíamos ignorar.
    Entendemos perfeitamente a sua frustração com a situação ocorrida na nossa loja e também entendemos a sua necessidade de expressa-la no seu blog. No entanto, cremos que é justo acabar de explicar o que “aconteceu” com a sua reclamação, e como decorreram as nossas conversações. Em mais de uma ocasião nos desculpamos perante o sucedido e incluso manifestamos a intenção de um pedido de desculpas pessoal quando a convidamos a visitar a nossa loja.

    Gostaríamos que ficasse claro que nunca se tratou de um “bate boca”, simplesmente sentimo-nos no direito de nos justificar publicamente e de uma forma educada, perante os seus comentários no Facebook.

    Repare que a dificuldade em dar-lhe uma resposta clara e momentânea, se deveu ao facto de não ser possível averiguar com clareza o que aconteceu em julho de 2011.

    Desta forma, e sem querer sugerir qualquer tipo de hostilidade, queremos apresentar aqui a resposta por e-mail que enviamos á sua reclamação, pois como organização empresarial que somos, é importante que a nossa resposta seja tão publica como a sua review.

    Agradecemos de antemão a sua cooperação e queremos dizer que não só ficamos consternados com a sua queixa, como já tomamos as medidas necessárias para garantir que tal situação jamais se repita.

    Com os melhores cumprimentos.

    Administração Inês Pereira Cabeleireiros

    ResponderEliminar
  5. E-mail de resposta enviado no día 27 de Março de 2012:
    ___________________


    Cara Alexandra,

    O meu nome é Inês C. Pereira, filha da fundadora e directora da empresa.
    Em primeiro lugar, quero pedir-lhe desculpas sinceras, obviamente pelo sucedido e pela má gestão do seu comentário na nossa página do Facebook. A pessoa que apagou o seu primeiro comentário, não é o Community Manager da página. Trata-se de um funcionário nosso com acesso a administração da página, que cometeu este infeliz erro.

    Voltando à questão principal, queria dizer-lhe que a sua reclamação “apanhou-nos” de surpresa, porque como lhe indicamos foi a primeira do género. E quando acreditamos nos nossos serviços, este tipo de comentários e principalmente a forma como se transmitem, nos deixam tristes.

    Quando mencionamos a sua queixa “intolerante e ríspida”, referíamo-nos ao comentário em que indica que “pelos vistos, andaram a pagar um tratamento e devolveram todo o dinheiro dispendido a uma conhecida em consequência de reconhecimento de erro no mesmo estabelecimento”.
    Este tipo de comentário, em que a Alexandra não tem conhecimento absoluto, “soa” a difamação, pois na nossa opinião, apenas devemos reclamar do que temos certeza absoluta. A isto nos referíamos. Até porque gostaria de deixar claro que na nossa empresa nunca se pagaram tratamentos ou se devolveu dinheiro. Quando um trabalho não corre como o esperado, sempre damos alternativas e descontos.

    O atraso na resposta à sua reclamação, deve-se ao facto que estivemos a investigar a sua ficha para tentar perceber directamente com os profissionais que a atenderam.
    Infelizmente e sem querer parecer hostil, passado 9 meses não é possível saber exactamente o que se passou. No entanto, a sua versão é logicamente a mais importante e a que prevalecerá. E graças a sua descrição ser-nos-á possível melhorar os nossos serviços e a forma como se gerem as reclamações.

    Acrescentar que quando os nosso clientes se encontram com algum tipo de incidência, não costumam passar 15 dias e visitam o salão no prazo de 2/3 dias para rectificar o resultado. Até porque este tipo de trabalho técnico requere o máximo cuidado em casa, como evitar secadores, não realizar penteados, nem usar acessórios. Como a sua visita para rectificar o trabalho não se deu na proximidade em que habitualmente sucede, foi lhe cobrado o shampo específico e a mascara respectiva.

    Espero que entenda que por um lado estou a justificar o procedimento mas por outro, dizer-lhe que estas situações nos permitem reavaliar e replanear a gestão dos nossos serviços e a forma como devemos solucionar estas incidências.

    Na Inês Pereira Cabeleireiros este tipo de acontecimentos não e comum mas sempre que surgem, tentamos encontrar uma solução para os clientes e melhorar a nossa prestação de serviços.
    Para concluir, gostaria de convida-la ao nosso estabelecimento do El Corte Ingles para um serviço de corte e um tratamento hidratante.
    Gostaria que se pusesse em contacto comigo para fazer uma marcação. Eu ou a minha mãe estaremos presentes para um pedido de desculpas pessoal.

    Fico á espera de noticias suas.

    Atentamente,

    Inês C. Pereira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá, infelizmente isto está a verificar se em muitos salões de cabeleireiro,mas tudo tem uma razão,os anuncios de recrutamento é tipo até 30 anos, boa aparência, teem que ser polivalentes bla bla,a experiência destas pessoas é nula, excepto quem trabalha desde muito nova.verifica se elevada falta de educação,bom atendimento,capacidade para assumir erros,não interessa a saúde capilar, só facturação.falo assim, porque nasçi e cresçi num cabeleireiro,trabalhei em vários,e tenho constatado este tipo de situaçõescarmen marques

      Eliminar
  6. É DE LAMENTAR O VOSSO ATENDIMETO!

    SEMPRE ME TENHO DIRIGIDO AOS VOSSOS SALOES E COMO CLIENTE ASSIDUA ESTOU INSATISFEITA COM O AMBIENTE QUE TIVE QUE SUPORTAR!OU SERÁ QUE O QUE PAGO NO FINAL DO TRABALHO NAO TENHO DIREITO A UM POUCO DE SOSSEGO!!!

    ResponderEliminar
  7. Puxa!!! Ainda bem que vi este blog!!!! E eu que pensava ir fazer uma mudança de visual a este cabeleireiro!!! Já não vou, não quero arriscar pagar a um cabeleireiro de renome como Inês Pereira e ser atendida por uma cabeleireira "qualquer"!
    Bem que já me tinham avisado dos preços, que davam um orçamento e depois na hora de pagar haviam sempre mais um cremes que faziam dobrar o orçamento!!!! Mas estragar o cabelo já é muito grave! De facto há que ter muito cuidado porque fama não é tudo!

    ResponderEliminar
  8. Estava à procura de uma boa cabeleireira p fazer uma mudança de visual..Ainda bem que li, a esta ñ vou. Obrigada pelo aviso.

    ResponderEliminar

  9. L
    AMENTÁVEL TODA ESTA (CONVERSA) DE FACEBOOK...

    Devo dizer em abono da Verdade que vou esporádicamente ao CABELEIREIRO INÊS PEREIRA

    e, de todas as vezes sou BEM atendida e os serviços prestados são satisfatórios.
    Mais acrescento que -A INVEJA É A ARMA DOS INCOMPETENTES. E pronto está tudo dito, a quem servir a carapuça, de enterrá-la

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sorte a sua de apanhar bons profissionais.... não percebo muito bem qual seria o meu tipo de inveja relativamente a um cabeleireiro.... A minha única inveja neste momento é de quem um cabelo saudável porque, infelizmente, passado tanto tempo ainda não voltou ao normal, talvez tivesse acontecido se o tivesse rapado! Aliás é bem visível em muitas imagens ao longo deste blog o estado em que o meu cabelo ficou.

      Eliminar
    2. Talvez se lhe aconteçesse igual ja não diria que seria inveja...deus nao dorme....pode ser que um dia lhe calhe po torto....fica a dica

      Eliminar
    3. Feliz da Anonima que foi bem atendida!
      Eu não fui!
      Não tenho inveja da Ines Pereira (aliás, nem se fosse cabeleireira teria, lol)
      Paguei 90€ para me estragarem o cabelo e ainda hoje me arrependo de não ter tomado medidas mais drásticas!
      Errar é humano!? Claro que sim!
      Reconhecer o erro? (coisa que que nao fizeram cmg) - Teria sido bonito!
      Assumir o erro? (coisa que tambem não fizeram) - Teria sido ótimo!!!
      No fim!
      Vim com o cabelo estragado!
      Com menos 90 euros e ainda tive de pagar a uma cabeleireira (aquelas que na Inês Pereira passam o tempo a desdenhar das que "não percebem" de hairstyling)
      Hairstyling my ass!!! - Valeu-me a cabeleireira de sempre para me salvar! Aquela que eu reneguei em prol de um salão de luxo!!

      Eliminar
  10. Sou cliente da Inês Pereira, não tão regular quanto gostaria de ser devido ao facto de praticarem preços elevados, não falo da qualidade / preço porque se formos por aí serei obrigada a concordar que são preços justos mas sempre que me dirigi a este espaço fiquei sempre agradada com o atendimento e a prestação do serviço, e devo dizer que sou muito radicalista nas minhas modificações de visual.
    Continuo a achar que as pessoas devem levar fotos do trabalho que desejam e não passa-lo da imaginação por palavras ao profissional pois pode ser mal explicado ou mal interpretado e daí saiem as asneiras. Penso que aqui foi o caso....

    ResponderEliminar
  11. Saudações,
    Li de forma atenta todos os vossos comentários e em consciência não posso deixar de fazer um.... Já me dirigi a 2 dos salões "Inês Pereira", fui ao 2.º para ter a certeza do que aconteceu no 1.º, havia sido um azar!!! Mas, na verdade tive outro azar!!!
    Sou uma pessoa reservada e não gosto de nada de confusões nem exposição pública desnecessária..., apesar de ser uma figura um tanto pública na sociedade do Porto.
    Por tudo isto e para salvaguarda da minha imagem e saúde dos meus cabelos, Inês Pereira, nunca mais....
    Cumprimentos a todos.

    ResponderEliminar
  12. Acho que este "erro" ocorrido no Salão Inês Pereira se deve a pessoas pouco profissionais que lá trabalham. Eles usam bons produtos, e o erro é mesmo de profissionais não certificados, ou certificados que não sabem ser bons cabeleireiros. Se não sabem fazer não fazem, se não têm geito arrangem outro trabalho! Não se brinca com a imgem de uma pessoa.
    Trabalho há 5 anos no ramo de cabeleireiro, sou presidente consultivo da Asosocição de Cabeleireiros 35' e não tenho formação e aprendi TUDO SOZINHO! sou cabeleireiro ao domicílio e so comecei a fazer part times em salões com boa reputação mesmo por este tipo de problemas técnicos. Não tenho formação nenhuma desde cabeleireiro a estética e maquilhagem.. Nasci para isto mesmo!
    O engraçado é que já vi desses profissionais com cursos e até formadores a fazerem estragos graves em cabelos, como colorações, cortes, desfrizagens, e descolorações, também noutros salões de renome.
    Ainda há quem não confie em profissionais sem carteira profissional!
    Tenho muito orgulho no que faço, amo o meu trabalho e orgulho me de nunca ter estragado o cabelo de uma pessoa, que é a imagem da mesma!

    ResponderEliminar
  13. Olá , lamentando esta situaçao aproveito para vos deixar uma sugestao
    SanyLook ( um salao de rua bem perto do el corte ingles onde é atendido com profissionalismo, simpatia a preços e qualidade excelente)!

    ResponderEliminar
  14. Boa tarde.
    Venho desde ja, mostrar o meu desagrado para com o salao da Ines Pereira, ou a politica praticada. Nao sou cliente assidua, fui la 2 vezes e jurei nao voltar. As funcionarias sao extremamente antipaticas, criticam sempre o cabelo, tentam impingir todos os produtos, etc. A 2a vez que la fui, foi para lavar e secar. No momento da lavagem, a funcionaria innforma que vai colocar sh para cabelos pintados, ao qual eu respondi que td bem, elas la sabem. Quando vou pagar, foi muito mais caro, ao qual eu questionei o valor. O que me responderam foi que utilizei sh especifico, quando eu nao pedi nada nem me perguntaram nada. e muito menos m informaram d que existia sh especial e era mais caro. Isso é roubar o cliente.

    ResponderEliminar
  15. Olá!!
    Estamos em 2015 e apenas cá venho relatar que a história se enquadra naquilo a que se chama "vira o disco e toca o mesmo".
    Não vou citar nomes mas posso dizer-vos que o ano passado me desloquei ao Salão da Inês Pereira no Arrábida Shopping exatamente por ese motivo: UM SALÃO DE RENOME onde as californianas fossem efetivamente bem feitas e nao me dessem um aspeto de "street woman"...
    Pois bem!
    Posso dizer-vos que aquilo ate em choro acabou (a cabeleireireira enganou-se em algum momento da execução e o meu cabelo às páginas tantas parecia um ninho de cucos!
    Ela chorava, eu chorava! Um drama!
    Para não me alongar, querem o remate final???
    90€ - PAGUEI E NAO BUFEI - aliás, no meio do trauma ate me esqueci de pedir livro de reclamações e rodar a baiana para não pagar 90€ por me terem estragado o cabelo!
    Paguei e em casa chorei o que havia para chorar e enquanto me lembrar desse episódio não recomendo a NINGUÉM - só uma mulher saber verdadeiramente o trauma que uma cabeleireira pode deixar!!

    ResponderEliminar
  16. Andava a procura da página do FB da Inês Pereira e encontro este blog.

    Sou cliente a vários anos (10 para ser especifica) e posso dizer que já frequentei a maioria dos salões IP, desde as lojas de centros comerciais a nova loja da Boavista. Costumo ir uma vez por mês o que significa que foram mais de 100 visitas as que fiz. Manejar um cabelo não e fácil, por muito experto que se seja, é perfeitamente normal, que por vezes os trabalhos no saiam como esperados. A qualidade do atendimento demonstrasse na forma como a casa está disposta a solucionar (obviamente falo por experiencia própria) algum resultado inesperado.
    Para isso a cliente tem que ser paciente e saber falar...Não adianta nada bufar e chorar (como li nos comentários) ou ameaçar, porque a final, quem fica prejudicada é a cliente porque sai da loja descontente e com um cabelo em mau estado.

    O que quero dizer, é que com educação e cordialidade tudo se resolve.

    Neste caso especifico, também não me parece correcto que se faça uma reclamação numa plataforma online publica 9 meses depois principalmente quando o serviço em causa é uma ondulação! Ou seja, queimou o cabelo todo, mas só decide reclamar passado quase um ano?!?!?!?!

    Eu também trabalho numa empresa que presta serviços ao publico e sei que as reclamações são uma realidade, por isso agradeço quando se fazem em privado e que a primeira opção não seja escrever um blog.

    Gostava que se pusessem na outra pele, que nos vossos trabalhos alguém cometesse um erro (um em 100), e que todos vocês perdessem clientes e que a vossa empresa também perdesse facturação por causa de um funcionário. Parece-me realmente triste.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Felizmente ainda vivo num país com liberdade de expressão e se há um provérbio tão conhecido que diz que desculpas não se pedem, evitam-se, neste tipo de situações aplica-se o mesmo princípio...
      Em contrapartida, toda a gente pode ver que fui eu que escrevi e dou a cara enquanto o seu comentário foi publicado em anónimo!
      Em segundo lugar,de nada me adiantava reclamar, a não ser eventualmente pedir a devolução do dinheiro que lá gastei, da primeira e da segunda vez (que me disseram que rectificavam a situação gratuitamente e ainda saí de lá pior e no final quando saía da loja chamaram-me como se estivesse a fugir sem pagar a dizer que tinha de pagar "x"). O cabelo não tinha outra solução senão cortar e deixar crescer....Depois desta situação, e esse e-mail ninguém veio aqui publicar, ameaçaram-me um processo por difamação.
      Por último, e ainda bem que há muito gente aqui a comentar, está visto que não sou caso único! Tem a sorte de ser atendida por bons profissionais, no sítio que frequente há anos.... as pessoas responsáveis por uma cadeia tão grande de cabeleireiros deviam saber quem põe ao serviço! Eu sou arquitecta e se der a projectar um edifício sem pilares que caia em cima das pessoas, também me irão chamar às responsabilidades e só não perdia facturação como ninguém me consultava mais...e então? Podia ser um erro em 100....

      Eliminar
  17. Boa tarde,

    Só li agora o post, e de facto é muito complicado para quem fica com os danos.
    Eu sou Cabeleireiros á 15 anos e nunca me aconteceu este tipo de coisas.
    Em primeiro lugar é muito importante salientar que nem todos os tipos de cabelos dão para fazer o serviço que a cliente deseja, por isso muitas vezes eu não o fazer, ao contrário de muitos profissionais e salvo os que zelam pelo cabelo , fazem tudo e mais alguma coisa para poder aumentar a facturação ao final do dia.
    Não será a política mais correcta, pois depois acontecem sucedidos como este, cá elos danificados, serviços mal efectuados e principalmente cliente descontente.
    Tenho o meu espaço a 5 anos, é um espaço low cost porque acho que as pessoas não têm de pagar balúrdios para manterem a imagem saudável, trabalho com a minha esposa que tem exactamente a mesma política que eu, somos uma empresa de sucesso e nunca tivemos este tipo de situações, fazemos por ano centenas de alisamentos e nunca tivemos uma reclamação.
    É muito importante conhecerem os cabelos antes de fazer o que quer que seja , já muita gente foi embora do nosso espaço sem fazer o que desejava, foi a outros espaços onde fizeram e os resultados foRAM desastrosos como já tinha previsto.
    Deixo então aqui o meu comentário daquilo que acontece todos os dias, hoje em dia muita gente faz cursos de formações express e começam a trabalhar como se soubessem muito. E preciso ter muito cuidado a quem entregam o vosso cabelo.
    Queria tb dizer que existem muito bons profissionais que sabem exactamente o que fazem.
    Já agora o nosso espaço é o Porto ANDREIA TEIXEIRA CABELEIREIROS.

    ALGUMA DUVIDA CONTACTEM PODE SER POR FACEBOOK BASTA POR O NOME SÓ CABELEIREIRO

    ResponderEliminar
  18. Peço desculpa mas acho que quando as pessoas se referem ao cabeleireiro INÊS PEREIRA, devem referir-se a um funcionário especifico porque o Cabeleireiro não tem culpa da generalidade. Eu tenho um cabeleireiro meu e trabalho também no cabeleireiro INÊS PEREIRA e sinceramente nunca vi ninguém, pelo menos no que estou a trabalhar, a tratarem mal os clientes ou a fazer "asneiras" no cabelo. Claro que todas as pessoas cometem erros, é óbvio mas quando tal acontece somos os primeiros a assumi-los e pedir desculpa pelo sucedido, tentando fazer o melhor que conseguimos. Não podemos generalizar até porque no meu cabeleireiro eu cobro valores mais baixos do que nos Cabeleireiros INÊS PEREIRA, e não é por isso que o meu trabalho é melhor ou pior. Portanto quando falarem de alguma situação que correu mal, não digam que foi o Cabeleireiro INÊS PEREIRA a ter culpa porque aí estão a dizer que todos os que trabalhamos nesta empresa fazemos "asneiras" e não é assim. É só isso.

    ResponderEliminar
  19. Olá, estava a pensar ir a um cabeleireiro IP mas nem pensar...os preços que falam há 5 anos são assustadores e o corte que quero fazer é curto...se não ficar bem não dá para emendar...quando se faz uma má crítica é à marca em si e não ao funcionário porque ele representa a marca e esta é que o contrata e paga o ordenado. Se se deixassem de contratar pessoas só pelo aspecto e idade teriam melhores funcionários e fariam assim juz ao nome da empresa!!

    ResponderEliminar